Atualização de privacidade

Lançamos nosso Centro de Privacidade e atualizamos o Aviso de Privacidade. Saiba mais. >

Educação Financeira para todos

Para começar a investir, é recomendável já ter avançado alguns passos: 

Como começar?
  1. estar com suas finanças em dia, sem contas em atraso
  2. ter total controle do seu orçamento
  3. ter o hábito de poupar
  4. dispor de uma reserva de emergência

Cumpridas essas etapas, que visam cuidar da sua saúde financeira, é o momento de conhecer seu perfil, seu momento atual e seus objetivos.

Reúna o máximo possível de informações sobre investimentos. Jamais tome uma decisão “no embalo”, optando por uma modalidade, porque um familiar ou amigo sugeriu.

As pessoas são diferentes umas das outras, têm necessidades diferentes, comportamentos e perfis distintos. Reconhecer isso é fundamental, para que você não tome decisões inadequadas.

Informe-se o máximo possível, questione, pesquise, antes de tomar qualquer decisão. Defina seus planos e, assim, escolha o investimento mais adequado para você!

Primeiros passos
Uma das preocupações de quem ainda dá os primeiros passos na opção de investir é a de contar com pequenas quantias para essa finalidade. Por exemplo, considerando um dinheiro extra que recebeu e algumas economias que fez, você conseguiu juntar R$ 1 mil. O que fazer com o dinheiro?

O primeiro ponto a ser considerado é a visão de longo prazo. Quanto maior o tempo de investimentos, melhores as chances de resultados.

Exatamente por isso, é importante que você conte com uma reserva de emergência, para cobrir alguma despesa extra, se for o caso. Assim você protege seu orçamento de gastos inesperados e não precisa mexer na sua aplicação para cobrir estes eventos-surpresa.

Tomadas essas medidas e considerando o seu perfil pouco tolerante ao risco, é importante escolher uma opção que se enquadre nessa descrição. Vale lembrar aqui o conceito básico de investimentos: quanto menor o risco, menor a rentabilidade da aplicação. 

Opções menos arriscadas
Para o pequeno investidor que não deseja correr grandes riscos, o caminho ainda é a Renda Fixa. A Renda Variável, sobretudo no mercado de ações, é conhecida pela forte volatilidade, que exige preparo e tolerância ao risco, por parte do investidor.

Como começar?

Compartilhar