Educação Financeira para todos

Diante do atual cenário econômico, como cuidar das finanças pessoais, em um momento marcado pela elevação dos preços e juros altos?

Ajuste seu orçamento

Para quem já tem uma planilha de orçamento, a dica é revê-la, observando formas de economizar dinheiro e cortar gastos. Agora, aos que ainda não têm um controle efetivo de suas contas, o caminho é começar o quanto antes, relacionar receitas e despesas e assim avaliar sua saúde financeira. A seguir, você confere dicas importantes.

Passo a passo:

  1. Evite dívidas
    Se você se planejou para realizar algum sonho de consumo agora e juntou dinheiro para isso, tudo bem. Certamente vai encontrar excelentes oportunidades de negociar preços.

    Agora, se para a realização dos seus sonhos você terá que contrair dívidas, a orientação é ter cautela e aguardar um momento melhor. Se realmente não quiser e puder esperar, considere como está a sua situação no trabalho e quanto do seu orçamento hoje está comprometido por dívidas. 
  1. Corte despesas
    Não hesite em reduzir despesas, deixando assim seu orçamento mais enxuto. Verifique sua planilha com atenção, inclua gastos extras, procure detalhar ao máximo. Assim você tem uma visão completa e bem perto da sua realidade, conseguindo tomar decisões conscientes.

    Para o corte de despesas, identifique prioridades. Coloque na ponta do lápis aquilo que é relevante para você e sua família, deixando para o fim da lista os itens que podem ser descartados se for o caso. 
  1. Avalie seus hábitos de consumo
    Pare e pense: tudo o que você compra hoje, no seu dia a dia, é mesmo necessário? A cada ida ao shopping ou supermercado, passeios aos fins de semana, você tem consumido mais do que deveria?

    Para evitar as compras por impulso, questione-se sempre: você realmente precisa gastar este dinheiro agora? Trata-se de algo realmente necessário ou esta decisão de compra pode ser adiada?
  1. Procure economizar
    Pesquise preços, compare produtos, negocie descontos e formas de pagamento, crie o hábito de pechinchar. Tudo isso faz uma grande diferença no seu orçamento, ainda mais com inflação em alta.

    Deixe seu carro em casa quando possível, optando pelo transporte público. Da mesma forma, faça menos refeições fora de casa e seja criativo no quesito lazer: chame seus amigos para descontraídos encontros em casa, desenvolvam seus talentos culinários e sintam, no bolso, os efeitos positivos dos novos hábitos.
  1. Fique atento ao parcelamento e uso do crédito
    O fato de comprar um produto hoje e pagá-lo parcelado é uma facilidade, desde que a decisão seja tomada com responsabilidade.

    Se o uso do crédito e o parcelamento não cabem no orçamento, em função do comprometimento da sua renda, não realize a compra.
  1. Poupe se possível
    Construir uma reserva de emergência é sempre recomendável. Ela funciona como garantia, caso algo inesperado aconteça, como a perda do emprego.

    Para que o esforço de poupança dê certo, crie o hábito de guardar, ao menos, 10% do seu salário, assim que ele entrar na sua conta. Mas, para isso, seu orçamento precisa estar em dia: receitas ganhando das despesas.
  1. Reveja seus investimentos
    Em momentos de instabilidade como este, é muito importante também analisar seus investimentos, observando fatores como rentabilidade, nível de risco, liquidez.

    Por exemplo: hoje a caderneta de poupança tem apresentado resultados muito baixos, dando vez a outros tantos investimentos de renda fixa, que apresentam risco moderado e resultados bem interessantes. Informe-se!
Ajuste seu orçamento

Compartilhar